Autarquia viabiliza venda de hotel da Lousã por 1 euro

Coimbra

 A Assembleia Municipal da Lousã (AML) aprovou hoje a alienação da participação da autarquia no capital do hotel Palácio da Lousã, permitindo a sua venda por um euro a um fundo de recuperação de empresas do setor.

Há dez anos, a Câmara da Lousã, na época liderada por Fernando Carvalho, do PS, aplicou 250 mil euros na Serra da Lousã -- Atividades Turísticas e Hoteleiras, significando a deliberação da Assembleia Municipal, por proposta do executivo, que o município prescinde agora daquela verba.

Ao alienar os 4,67% que detinha no capital social da empresa, o município, por decisão da AML, tenta evitar a insolvência da sociedade e "todas as consequências negativas" para a economia local, designadamente ao nível do emprego.

O Meliá Palácio da Lousã Boutique Hotel, fundado por membros da família Mexia, proprietários do imóvel que pertenceu à Viscondessa do Espinhal, deverá ser vendido pelo preço simbólico de um euro ao Findings XVI -- SPGS, uma sociedade anónima detida pelo Fundo Discovery Portugal Real Estate.

Foi divulgado na sessão da Assembleia Municipal, que terminou esta madrugada, que o possível comprador assumirá o compromisso de desenvolver "os melhores esforços para a manutenção e dinamização" do hotel de quatro estrelas, no centro histórico da vila.

Numa carta dirigida à Serra da Lousã -- Atividades Turísticas e Hoteleiras, a que a agência Lusa teve acesso, a administração do Findings XVI informa que pretende "aplicar na gestão e desenvolvimento do hotel as melhores práticas do mercado" do setor.

A transação pelo valor de um euro deverá realizar-se na condição de o comprador assumir o passivo da empresa, na ordem dos três milhões de euros, incluindo dívidas a bancos e fornecedores, o qual é superior ao ativo.

A alienação do capital detido pela autarquia, já deliberada em reunião do executivo, foi também aprovada por unanimidade na Assembleia (BE, PS e PSD).

"Não fazemos propostas destas com alegria", lamentou o presidente da Câmara, Luís Antunes.

O deputado Daniel Rodrigues fez contas, somando os 250 mil euros investidos pela autarquia no hotel à dívida de 163 mil euros que tem à Movijovem.

"São 413 mil euros e temos um hotel insolvente e uma Pousada da Juventude fechada", ironizou o social-democrata.

Fonte: D.N., 20.02.13
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=3063097&seccao=Norte&page=-1

Destaques Comunicados AHRESP Agenda
Newsletter AHRESP #55
Livro de Reclamações Eletrónico
AHRESP alerta para a urgência de uma nova Lei para o Arrendamento Empresarial
Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior
Receitas Turísticas Internacionais - abril
Turismo de Ar Livre e Campismo - abril
Newsletter AHRESP #54
Alojamento Turístico - abril
Newsletter AHRESP #53
Prémios AHRESP 2018
Alterações legislativas do AL podem ter impactos muito negativos e injustificados
AHRESP apresenta nova fase do programa Seleção Gastronomia e Vinhos Açores
DIA MUNDIAL DO AMBIENTE
AHRESP lança segunda fase do Taste Portugal
AHRESP lança campanha de sensibilização para redução de plásticos
Restauração e Alojamento criaram mais de 21 mil novos postos de trabalho
NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AHRESP TOMARAM POSSE
AHRESP NA VICE PRESIDÊNCIA DA FEDERAÇÃO EUROPEIA ORGANIZAÇÕES CAMPISMO E CARAVANISMO
Eleições da AHRESP Triénio 2018-2021
Turismo continua a impulsionar evolução positiva da conjuntura económica
> 35º Festival Nacional Gastronomia | 22/10 a 01/11 | Santarem
> 10.º Festival do Marisco de Ribamar | 23 outubro a 1 novembro | Ribamar
> New Food Bizz | 29 outubro | Santarém
> 10º Aniversário da ASAE | 3 novembro | Porto
> IV Convenção HOTELSHOP/SOCIALSHOP | 04 novembro | Lisboa
> TTR– Feira de Turismo da Roménia | 13 a 16 novembro | Bucareste
> Semináruo 40 Anos ANCIPA | 17 de novembro | Lisboa
> XXVI FEHISPOR, FEIRA HISPANO PORTUGUESA | 19 a 22 novembro | Badajoz
> Alimentaria&Horexpo Lisboa e Portugal AGRO | 21 a 24 novembro | Lisboa
APAVT convida a debater "Turismo: partilhar o futuro"