Press Release - 08.01.2015

Inventários

Mais uma duplicação burocrática, mais um custo de contexto impossível de ser cumprido

A AHRESP e a OTOC – Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, estiveram ontem reunidas para avaliar os impactos da Portaria N.º 2/2015, publicada a 6 de janeiro, que regulamenta a obrigatoriedade da comunicação, até 31 de janeiro, dos inventários das empresas a 31 de dezembro de 2014, junto da Autoridade Tributária.

Desde logo foi entendido que, a publicação da regulamentação no dia 6 de janeiro de 2015, incide sobre uma obrigatoriedade que tinha que ser cumprida a 31 de dezembro de 2014, tornando esta obrigação impossível de ser cumprida.

Paralelamente, a informação que está a ser solicitada é uma mera duplicação burocrática, pois a Demonstração de Resultados das empresas já reporta a informação sobre os consumos, estando assim a criar-se mais um custo de contexto, incomportável para as micro e pequenas empresas, que não estão preparadas para em tempo útil cumprir com esta nova obrigação.

A reconversão dos inventários para a plataforma informática, criada pela Autoridade Tributária, vai gerar milhões de euros de custos às micro e pequenas empresas, 99,9% do tecido empresarial português, que terão que efetuar manualmente a comunicação do seu inventário, pois não dispõem de sistemas de gestão de stocks, integrados, nos seus sistemas de faturação.

Como é possível exigir que uma micro e pequena empresa, introduza agora, manualmente, os códigos de barras dos produtos que tinha em stock a 31 de dezembro de 2014, e que entretanto já consumiu? Quem paga o computador que estas micro empresas têm de adquirir para construir o ficheiro de texto com o seu inventário? Quem auxilia as micro e pequenas empresas a criar códigos de todos os seus produtos, desde o ovo, a couve portuguesa, a couve-flor, a alface, o agrião, o tomate, a carne do lombo, a pescada, a água, o sumo, a cerveja, o açúcar, a farinha, etc., etc., e uma infinidade de produtos e matérias-primas que são usadas para diversos receituários e produtos, com uma elevada rotatividade diária?

Estes, e muitos outros motivos, demonstram a INEXEQUIBILIDADE e a IMPRATICABILIDADE desta nova obrigação, meramente burocrática, para a qual as nossas micro e pequenas empresas não estão minimamente preparadas, nem dispõem de capacidade económica e financeira.

Temos vindo a assistir, nestes últimos 3 anos, a um aumento significativo da burocracia sobre as nossas empresas, e nunca ninguém se preocupou com o que isso nos custa. O Governo cria obrigações sobre as empresas, e não pergunta, não assume, nem manifesta interesse em saber o custo que está a gerar nas nossas atividades. Assistimos diariamente à criação de cada vez mais Custos de Contexto, sem que a Comporta Regulatória e o Teste PME sejam definitivamente aplicados, conforme prevê a legislação.

Perante esta situação, a AHRESP está a solicitar a imediata suspensão da aplicação desta imposição legal, por forma a permitir a sua análise detalhada, avaliando os seus diversos impactos económicos, financeiros, e legais, evitando assim o incumprimento das dezenas de milhares de micro e pequenas empresas dos setores da Restauração e do Alojamento, que no próximo dia 31 ficarão sujeitas a um pesado regime sancionatório.

 

 

Destaques Comunicados AHRESP Agenda
Alojamento Turístico - julho.2018
Turismo de Ar Livre e Campismo - julho.2018
Alteração ao Contrato Coletivo de Trabalho entre a AHRESP e a FESAHT
Publicação do novo regime do Alojamento Local (AL)
Portal Nacional de Fornecedores do Estado
Novo regime para o Alojamento Local
Linha de Crédito Capitalizar 2018
BREXIT – Preparação para Saída do Reino Unido da UE
Linha de Apoio IFFRU 2020
Newsletter AHRESP #55
Alterações legislativas do AL podem ter impactos muito negativos e injustificados
AHRESP apresenta nova fase do programa Seleção Gastronomia e Vinhos Açores
DIA MUNDIAL DO AMBIENTE
AHRESP lança segunda fase do Taste Portugal
AHRESP lança campanha de sensibilização para redução de plásticos
Restauração e Alojamento criaram mais de 21 mil novos postos de trabalho
NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AHRESP TOMARAM POSSE
AHRESP NA VICE PRESIDÊNCIA DA FEDERAÇÃO EUROPEIA ORGANIZAÇÕES CAMPISMO E CARAVANISMO
Eleições da AHRESP Triénio 2018-2021
Turismo continua a impulsionar evolução positiva da conjuntura económica
> 35º Festival Nacional Gastronomia | 22/10 a 01/11 | Santarem
> 10.º Festival do Marisco de Ribamar | 23 outubro a 1 novembro | Ribamar
> New Food Bizz | 29 outubro | Santarém
> 10º Aniversário da ASAE | 3 novembro | Porto
> IV Convenção HOTELSHOP/SOCIALSHOP | 04 novembro | Lisboa
> TTR– Feira de Turismo da Roménia | 13 a 16 novembro | Bucareste
> Semináruo 40 Anos ANCIPA | 17 de novembro | Lisboa
> XXVI FEHISPOR, FEIRA HISPANO PORTUGUESA | 19 a 22 novembro | Badajoz
> Alimentaria&Horexpo Lisboa e Portugal AGRO | 21 a 24 novembro | Lisboa
APAVT convida a debater "Turismo: partilhar o futuro"