Turistas triplicaram gastos em Portugal

No espaço de 20 anos, os turistas passaram a gastar três vezes mais do que gastavam. A hotelaria e a restauração representam já mais de 5% da economia portuguesa.Entre 1996 e 2015, as exportações portuguesas de viagens e turismo praticamente triplicaram. Isto é, aquilo que os turistas estrangeiros gastam para viajar para Portugal, para ficar nos hotéis ou para comer nos restaurantes deu um salto gigante nos últimos 20 anos, principalmente desde 2009, com um aumento de 64% desde esse ano.

Em 1996, este tipo específico de exportações de serviços rondava os 3,7 mil milhões de euros, tendo aumentado desde esse ano para os 11,4 mil milhões. O crescimento foi mais ou menos constante, mas a subida mais pronunciada observou-se nos últimos seis anos. Ao mesmo tempo, as importações de serviços relacionadas com viagens e turismo também avançaram, mas a um ritmo muito mais modesto. Aumentaram de 1,8 mil milhões de euros em 1996, para 3,6 mil milhões em 2015.

Quando se fala em exportações, normalmente pensamos em grandes cargueiros com contentores empilhados. Mas existe outro tipo de vendas ao exterior que não implica troca de bens. São chamadas exportações de serviços. Por exemplo, os serviços de um escritório de advogados português a uma empresa angolana está dentro dessa categoria. Na área do turismo, é quando um viajante estrangeiro paga por um quarto num hotel de Coimbra, vai jantar a um restaurante de Portimão ou vai a um spa na Serra da Estrela. Quando acontece o contrário - um português a viajar para o estrangeiro - conta como uma importação.

Estrangeiros

Em 2015, quase seis em cada dez hóspedes de hotéis em Portugal eram estrangeiros. Um valor que tem crescido substancialmente.
As exportações de serviços têm representado um bálsamo para as exportações portuguesas tendo hoje um peso de 28% nas vendas totais ao exterior, com destaque para a receita turística. Na diferença entre as exportações e as importações de serviços, a balança de viagens e turismo tem um impacto positivo na economia portuguesa de 4,3% do PIB. Mais do dobro do valor de 1996 (2%). Actualmente, são cerca de 7,8 mil milhões de euros.

É difícil saber exactamente quanto é que o turismo dá à economia portuguesa, uma vez que abrange várias actividades em que os viajantes estrangeiros gastam dinheiro em solo português.

Contudo, olhar para o valor acrescentado bruto (VAB) gerado pelas empresas de restauração e hotelaria pode ser uma bússola relevante para estimar esse impacto turístico. Em 2015, geraram 8,4 mil milhões de euros, o que representa 5,4% do VAB total da economia. Ou seja, mais de um em cada 20 euros de riqueza vem dessas duas actividades económicas.

Mais de oito milhões de dormidas britânicas Em 2015, os estabelecimentos hoteleiros portugueses tiveram mais de oito milhões de dormidas de hóspedes do Reino Unido, mostram os dados do INE. É, de longe, o país que mais contribui para este indicador. A nação que surge em segundo lugar é a Alemanha, com 4,6 milhões de dormidas. Espanha e França contribuem ambas com mais de três milhões.

No entanto, importa também olhar para as variações mais interessantes nas últimas décadas. Por exemplo, em 1960, os norte-americanos eram a terceira nacionalidade com mais dormidas em Portugal. Hoje são a oitava. O salto mais surpreendente talvez venha da Irlanda. Nestas mais de cinco décadas, os turistas irlandeses aumentaram quase 18 000% (!) o número de noites passadas em Portugal, de 6,6 mil para perto de 1,2 milhões.

Fonte: Jornal de Negócios, 08 de Novembro de 2016 
 

 

Destaques Comunicados AHRESP Agenda
FESAHT: Pré-Aviso de Greve_06 de Julho 2018
FESAHT: Pré-Aviso de Greve_06 de Julho 2018
Newsletter AHRESP #53
Prémios AHRESP 2018
Receitas Turísticas Internacionais crescem +20,3% em março de 2018
AHRESP na associação europeia de Campismo e Caravanismo
Diretório Comercial Nacional – Registo Empresarial de Portugal
Mais respeito pelo alojamento local
Festival da Eurovisão - mais de 100mil visitantes em Lisboa
Tarifas de gás natural
AHRESP apresenta nova fase do programa Seleção Gastronomia e Vinhos Açores
DIA MUNDIAL DO AMBIENTE
AHRESP lança segunda fase do Taste Portugal
AHRESP lança campanha de sensibilização para redução de plásticos
Restauração e Alojamento criaram mais de 21 mil novos postos de trabalho
NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AHRESP TOMARAM POSSE
AHRESP NA VICE PRESIDÊNCIA DA FEDERAÇÃO EUROPEIA ORGANIZAÇÕES CAMPISMO E CARAVANISMO
Eleições da AHRESP Triénio 2018-2021
Turismo continua a impulsionar evolução positiva da conjuntura económica
Regulamento de Proteção de Dados
> 35º Festival Nacional Gastronomia | 22/10 a 01/11 | Santarem
> 10.º Festival do Marisco de Ribamar | 23 outubro a 1 novembro | Ribamar
> New Food Bizz | 29 outubro | Santarém
> 10º Aniversário da ASAE | 3 novembro | Porto
> IV Convenção HOTELSHOP/SOCIALSHOP | 04 novembro | Lisboa
> TTR– Feira de Turismo da Roménia | 13 a 16 novembro | Bucareste
> Semináruo 40 Anos ANCIPA | 17 de novembro | Lisboa
> XXVI FEHISPOR, FEIRA HISPANO PORTUGUESA | 19 a 22 novembro | Badajoz
> Alimentaria&Horexpo Lisboa e Portugal AGRO | 21 a 24 novembro | Lisboa
APAVT convida a debater "Turismo: partilhar o futuro"