"É preciso que os turistas encontrem produtos de Portugal à venda quando voltam a casa"

Duas luso-descendentes querem usar a maior visibilidade turística de Portugal, no exterior, para ajudar os produtores portugueses a internacionalizar os seus produtos. A primeira acção foi em Paris. Segue-se Londres.Colocar os produtos portugueses nas prateleiras dos hipermercados, em lojas gourmet e restaurantes em França, para que se compre, por exemplo, um Queijo da Serra da Estrela com a mesma facilidade de um mozzarella italiano. É este o objectivo de duas luso-descendentes que levaram produtores de vinhos e gastronomia de cinco regiões portuguesas ao terceiro maior evento de Paris, a festa das vindimas de Montmartre, que se realiza há 84 anos.

Se Portugal está na moda como destino turístico, porque não aproveitar esse boom e a maior visibilidade que está a ter no exterior como uma oportunidade para promover e internacionalizar os produtos portugueses? A ideia fervilhava na cabeça das luso-descendentes Ana Sofia Oliveira e Dina Carvalho Sanches. Há cinco meses criaram a marca My Genuine Portugal. "É preciso que os turistas provem os produtos, em Portugal, e que, quando regressem a França, os encontrem à venda nos supermercados, restaurantes e lojas gourmet", defende Ana Sofia Oliveira, da área de marketing.A primeira acção promocional da My Genuine Portugal decorreu na famosa festa de tradições culinárias e vínicas, que atrai meio milhão de visitantes, organizada pela Câmara do 18° Bairro de Paris, no famoso bairro boémio de Montmartre. "Nesta festa, Portugal é o país convidado de honra, porque há uma presença muito forte de portugueses em Paris", explica o presidente do 18º Bairro de Paris, Eric Lejoindre, que degustou os produtos portugueses. "Há uma forte receptividade dos franceses em relação à gastronomia portuguesa", realça Eric Lejoindre.O contexto não poderia ser mais favorável a esta acção promocional. "Nunca se ouviu tanto falar de Portugal nos media franceses como agora, desde turismo, imobiliária e cultura", afirma Dina. Realça ainda o entusiasmo dos franceses com as vantagens fiscais de compra de casa em Portugal. A juntar a isto, os últimos atentados colocam o nosso país entre os cinco mais seguros do mundo, destaca o presidente do Turismo do Centro de Portugal, Pedro Machado. "Em Portugal não é normal entrarmos num certame destes, mesmo ao ar livre, e termos detectores de metais à entrada e revistas às mochilas e carteiras", diz.E os produtores portugueses só têm a ganhar com o boom turístico.

"França é um mercado importante, tem canais abertos e uma proximidade geográfica que permitem, por exemplo, combater mercados que, durante muito tempo, eram preferenciais, como África, e que estão em retracção. Existe uma procura crescente do mercado dos vinhos e dos outros produtos", realça o presidente do Turismo do Centro de Portugal.Esta festa das vindimas é um palco privilegiado, desde o contacto directo com consumidor final até à possibilidade de novos canais de comercialização e "relações com empresários portugueses e franceses que vivem em Paris e que sabem o valor real da gastronomia associada aos vinhos, doçaria, queijo", diz.Já segundo o presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, "o mercado francês, sendo o segundo mercado externo emissor para a região do Porto e Norte, tem uma quota no mercado estrangeiro de 14%, logo após o mercado espanhol, com um total de 403 mil dormidas até a Agosto".Filas para provar alheiraSubscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.Ana e Dina, que cresceram em Paris e onde apenas a última vive, viram, assim, no evento uma oportunidade para "mostrar que Portugal é mais do que o pastel de nata, bacalhau e vinho do Porto". Levaram produtores do Tâmega e Sousa, Trás-os-Montes, Coimbra, Beiras e Serra da Estrela e Beira Baixa. Nos stands em frente à Basílica do Sagrado Coração (Sacré-Coeur), no topo da colina de Montmartre, os parisienses fazem fila para provar a típica chanfana, o leitão da Mealhada, a alheira de Mirandela, o chouriço transmontano e de Arganil. O azeite e as castanhas.

Também se renderam aos vinhos Verdes, de Trás-os-Montes, da Bairrada e da Beira Interior."A festa de vindimas teve uma mais-valia com a participação das regiões portuguesas, porque os produtos são bons, as pessoas são simpáticas. Deve-se pensar noutros eventos em França com a presença de Portugal", defende Hermano Sanches Ruivo, vereador português na Câmara de Paris, que resume tudo a uma questão de diplomacia económica e das cidades. "Se cada vez mais franceses pedirem produtos portugueses e na programação de Paris propormos aos habitantes esses produtos, então Portugal vai ter mais exportação", defende Sanches Ruivo, que pretende intensificar a relação entre Portugal e França. E ter um vereador luso-descente de Castelo Branco ajuda. "Assinámos agora um protocolo entre Paris e Lisboa para facilitar a vinda de startups de Lisboa e vice-versa", conclui.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) aproveitou o evento para lançar, em Paris, o programa da Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo, para promover a gastronomia lusitana. "Queremos criar 15 restaurantes em cada um dos mercados espanhol, francês, inglês, alemão e brasileiro, num total de 75, até Maio de 2018", adianta Teresa Vivas Agrego, da AHRESP. 

Fonte: Público, 25-10-17

 

Destaques Comunicados AHRESP Agenda
Newsletter AHRESP #57
Portaria de Extensão – CCT AHRESP | FESAHT – Restauração e Bebidas
Alterações à recolha de lixo (feriado de 1 de novembro)
Alojamento Turístico -agosto.2018-
Turismo de Ar Livre e Campismo -agosto.2018-
ATUALIZAÇÃO DE RENDAS PARA 2019
Estudo inédito reúne dados essenciais para apoiar empresas HORECA
CCT entre a AHRESP e a FESAHT - alteração salarial e outras
Newsletter AHRESP #56
Campanha #MENOS PLÁSTICO, MAIS AMBIENTE
AHRESP APRESENTA PROPOSTAS PARA ORÇAMENTO DO ESTADO 2019
AHRESP SAÚDA REALIZAÇÃO DA WEB SUMMIT EM LISBOA POR MAIS 10 ANOS
Alterações legislativas do AL podem ter impactos muito negativos e injustificados
AHRESP apresenta nova fase do programa Seleção Gastronomia e Vinhos Açores
DIA MUNDIAL DO AMBIENTE
AHRESP lança segunda fase do Taste Portugal
AHRESP lança campanha de sensibilização para redução de plásticos
Restauração e Alojamento criaram mais de 21 mil novos postos de trabalho
NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AHRESP TOMARAM POSSE
AHRESP NA VICE PRESIDÊNCIA DA FEDERAÇÃO EUROPEIA ORGANIZAÇÕES CAMPISMO E CARAVANISMO
> 35º Festival Nacional Gastronomia | 22/10 a 01/11 | Santarem
> 10.º Festival do Marisco de Ribamar | 23 outubro a 1 novembro | Ribamar
> New Food Bizz | 29 outubro | Santarém
> 10º Aniversário da ASAE | 3 novembro | Porto
> IV Convenção HOTELSHOP/SOCIALSHOP | 04 novembro | Lisboa
> TTR– Feira de Turismo da Roménia | 13 a 16 novembro | Bucareste
> Semináruo 40 Anos ANCIPA | 17 de novembro | Lisboa
> XXVI FEHISPOR, FEIRA HISPANO PORTUGUESA | 19 a 22 novembro | Badajoz
> Alimentaria&Horexpo Lisboa e Portugal AGRO | 21 a 24 novembro | Lisboa
APAVT convida a debater "Turismo: partilhar o futuro"