Jornadas AHRESP

 

Jornadas AHRESP aprovam conjunto de medidas urgentes

para valorizar e qualificar trabalhadores do setor 

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) aprovou, no final das suas Jornadas que decorreram sob o tema A Evolução do Mercado de Trabalho’, um conjunto de medidas que têm como objetivo a valorização das profissões destes setores, a qualificação dos recursos humanos, o aumento da produtividade e o incremento das relações entre entidades empregadoras e trabalhadores.

Realizadas no dia 09 de janeiro em Lisboa, as Jornadas AHRESP, contaram com a presença do Secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, entre muitas outras individualidades que deram o seu contributo para a discussão do mercado de trabalho nos setores da Restauração e Alojamento Turístico. 

«A alta empregabilidade na Restauração e Alojamento demonstra bem o compromisso assumido pelos empresários na criação de emprego após a reposição parcial da taxa do IVA dos Serviços de Alimentação e Bebidas, mas ao mesmo tempo coloca-nos muitos desafios», afirma Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP. «Para construir uma oferta turística de qualidade e manter este nível de empregabilidade, essenciais ao crescimento económico do nosso país, é urgente apostar na valorização, formação e qualificação dos nossos trabalhadores. Estas foram as razões que nos motivaram a fazer estas jornadas». 

Propostas aprovadas pela AHRESP: 

I.                    Elaboração do “Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA”, para, de forma clara e precisa, se identificar as atuais carências do mercado, quer em termos de quantidade de recursos humanos, quer em termos da sua qualificação;  

II.                  Congregação da Oferta e Procura de Emprego e Formação realizada através dos Centros de Emprego do IEFP, com o objetivo de criar uma rede específica para o turismo que analisa e comunica todas as ofertas/procuras de emprego/formação com os destinatários, ao nível nacional, dando oportunidade às empresas e aos interessados que procuram emprego, de se deslocarem para onde existir oferta de trabalho;  

III.                Desenvolvimento e implementação de um programa de formação de início de carreira, de curta duração, para as profissões mais carentes de mão-de-obra qualificada. Estas formações devem ser divulgadas e promovidas junto de desempregados e de ativos de outras áreas de atividade que desejem iniciar uma carreira nas empresas de Alojamento Turístico e de Restauração e Bebidas;  

IV.                Implementação de mecanismos essenciais que permitam aos desempregados, nomeadamente jovens, acederem ao mercado de trabalho, sem deixarem de usufruir de eventuais subsídios e outros incentivos declarados pelo sistema como incompatíveis com qualquer tipo de trabalho;   

V.                  Consagração de um regime jurídico-legal, próprio e específico para os Setores do Alojamento Turístico e da Restauração e Bebidas;  

VI.                Agilização e desoneração dos regimes legais do “contrato de muito curta duração” do “contrato de trabalho intermitente”, pois só desta forma poderão constituir uma efetiva resposta às necessidades das empresas do turismo;   

VII.              Sensibilização junto dos empresários destes setores, para a importância e mais-valia que representa poderem contar com profissionais qualificados e, por essa razão, mais bem preparados, investindo-se na formação dos atuais e dos futuros ativos;  

VIII.            Incremento do sistema de ensino dual no setor do Turismo dada a importância de complementar a aprendizagem com a experiência prática, enriquecendo tanto o conhecimento teórico como as competências práticas;  

IX.                Promoção de iniciativas e de instrumentos que possam favorecer a atração de recursos humanos para estes setores, dignificando-se as profissões e os seus profissionais, para o que pode contribuir uma melhor e mais cuidada informação sobre as profissões e respetivas ofertas educativas e/ou formativas, bem como deve ser levada a cabo uma campanha de valorização das profissões do Turismo, que atraia, nomeadamente jovens, e para profissões tradicionalmente encaradas – erradamente - como menos atrativas/dignas;  

X.                  Integração das políticas de educação e formação vocacional, por forma a fomentar uma oferta formativa e de educação, nos ensinos secundário, profissional e superior, (de que é um excelente exemplo a iniciativa RIPTUR a nível do ensino superior politécnico), promovendo-se uma maior notoriedade, interesse e reconhecimento internacional do ensino do turismo em Portugal;  

XI.                Investimento sério e estruturado na formação contínua dos empresários do Turismo, dotando-os de competências e valências que lhes permitam implementar novos negócios e novas formas organizacionais para fazer face aos atuais e aos novos desafios, em setores caracterizados por uma forte dinâmica;  

XII.              Reconhecimento de que o direito à Contratação Coletiva se faz pela via da livre instituição do princípio da negociação e não através da imposição de uma suposta negociabilidade, pelo que deve ser conferida à Contratação Coletiva uma maior liberdade contratual, permitindo que disponha sobre matérias cruciais para estas atividades;  

XIII.            Reformulação do quadro legal da Contratação Coletiva, que deverá ser “a termo”, pois esta deve assentar no que é possível perspetivar para determinado período de tempo, caducando os contratos coletivos na data estipulada para o efeito;  

XIV.            Importância da extensão dos Contratos Coletivos, por via das Portarias de Extensão, como salvaguarda da leal e sã concorrência entre agentes do mesmo setor, assumindo especial relevo quando está em causa a contratação pública.

Veja as fotografias

Programa A Evolução do Mercado de Trabalho’

 

Destaques Comunicados AHRESP Agenda
Newsletter AHRESP #57
Portaria de Extensão – CCT AHRESP | FESAHT – Restauração e Bebidas
Alterações à recolha de lixo (feriado de 1 de novembro)
Alojamento Turístico -agosto.2018-
Turismo de Ar Livre e Campismo -agosto.2018-
ATUALIZAÇÃO DE RENDAS PARA 2019
Estudo inédito reúne dados essenciais para apoiar empresas HORECA
CCT entre a AHRESP e a FESAHT - alteração salarial e outras
Newsletter AHRESP #56
Campanha #MENOS PLÁSTICO, MAIS AMBIENTE
AHRESP APRESENTA PROPOSTAS PARA ORÇAMENTO DO ESTADO 2019
AHRESP SAÚDA REALIZAÇÃO DA WEB SUMMIT EM LISBOA POR MAIS 10 ANOS
Alterações legislativas do AL podem ter impactos muito negativos e injustificados
AHRESP apresenta nova fase do programa Seleção Gastronomia e Vinhos Açores
DIA MUNDIAL DO AMBIENTE
AHRESP lança segunda fase do Taste Portugal
AHRESP lança campanha de sensibilização para redução de plásticos
Restauração e Alojamento criaram mais de 21 mil novos postos de trabalho
NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AHRESP TOMARAM POSSE
AHRESP NA VICE PRESIDÊNCIA DA FEDERAÇÃO EUROPEIA ORGANIZAÇÕES CAMPISMO E CARAVANISMO
> 35º Festival Nacional Gastronomia | 22/10 a 01/11 | Santarem
> 10.º Festival do Marisco de Ribamar | 23 outubro a 1 novembro | Ribamar
> New Food Bizz | 29 outubro | Santarém
> 10º Aniversário da ASAE | 3 novembro | Porto
> IV Convenção HOTELSHOP/SOCIALSHOP | 04 novembro | Lisboa
> TTR– Feira de Turismo da Roménia | 13 a 16 novembro | Bucareste
> Semináruo 40 Anos ANCIPA | 17 de novembro | Lisboa
> XXVI FEHISPOR, FEIRA HISPANO PORTUGUESA | 19 a 22 novembro | Badajoz
> Alimentaria&Horexpo Lisboa e Portugal AGRO | 21 a 24 novembro | Lisboa
APAVT convida a debater "Turismo: partilhar o futuro"